Djokovic sorri em Wimbledon: «Não podia pedir um melhor início de torneio»

0
5
Djokovic sorri em Wimbledon: «Não podia pedir um melhor início de torneio»

Novak Djokovic ultrapassou com distinção o primeiro teste em Wimbledon 2024, ao bater facilmente o checo Vit Kopriva. O número dois do Mundo confessa que se sentiu muito bem no court e agora prepara-se para medir forças com o ‘desconhecido’ Jacob Fearnley na segunda eliminatória.

SENSAÇÕES NA PRIMEIRA RONDA

A semana de treinos foi ótima. É óbvio que a competição é muito diferente, especialmente se o primeiro encontro oficial é no Centre Court. Não sabia como me ia sentir no court e como o joelho ia responder. Estou muito feliz pela forma como me senti, pela forma como joguei e como me movimentei. Não podia pedir um melhor início de torneio.

Leia também:

 

DESISTÊNCIA DE ANDY MURRAY

É uma inspiração incrível para todos os jogadores. Não lhe custa estar horas e horas a treinar cada dia. Um profissional intocável, a sua atitude e método deviam ser estudados. A força de vontade para levar tudo ao limite, até com uma anca artificial, é algo inspirador que devia servir aos jovens atletas como exemplo, sobretudo quando se começam a queixar disto e daquilo. Deixou uma grande marca neste desporto. Há algo que me diz que vai continuar a tentar. Merece isso, ganhou o direito de dizer quando chegou o final.

SEGUE-SE O ‘DESCONHECIDO’ JACOB FEARNLEY

Nunca o vi a jogar. Não sei nada sobre ele, pelo que tenho de ir fazer o trabalho de casa. Sei que recebeu um wild card para jogar o torneio, então vou analisar o encontro dele. Ao ser britânico, o público vai estar do seu lado. Nunca é bom defrontar um britânico em Wimbledon. Para além disso, estou com vontade de jogar de novo. O mais importante é manter as boas sensações no court.